logolaranja.png
..::data e hora::.. 00:00:00

Fecomércio-RS: restrições à abertura do comércio

em todo o RS até 15 de abril exigem medidas

voltadas ao setor terciário

 

Comércio de bens e de serviços é o mais atingido pela crise gerada pelo novo coronavírus

     O Sistema Fecomércio-RS acompanha com atenção o decreto publicado pelo governo estadual na data de 01 de abril de 2020), que estende para todo o Rio Grande do Sul o fechamento de estabelecimentos comerciais com atendimento ao público em virtude das medidas de distanciamento social para combate ao novo coronavírus. A Fecomércio-RS entende que o setor terciário, que abrange ponta da cadeia essencial para a venda do que é produzido pelo agronegócio e pela indústria, vem sofrendo desproporcionalmente os efeitos das medidas para conter a epidemia da Covid-19 e precisa de ações enfáticas no sentido de preservar os empregos e a renda, essenciais à manutenção da dignidade, saúde e qualidade de vida dos trabalhadores gaúchos.

 

        Entre as solicitações feitas pela Fecomércio-RS e contempladas no decreto de modo a evitar a paralisação total da economia estão o estabelecimento de que atividades comerciais de todos os tipos – não apenas restaurantes – podem operar neste período por meio de tele-entrega ou take-away (para levar). Da mesma forma, pedido da Federação endossado pelo governo é a liberação para a prestação de serviços que não envolvam atendimento ao público. Foram incluídas ainda sugestões como a manutenção de comércio e de serviços que atendem a indústria, logística e serviços essenciais permitindo assim a abertura de postos de gasolina, alimentação em estradas, lavanderias industriais, serviços jurídicos e de assessoria em locais sem acúmulo de pessoas. A uniformização das medidas impede que municípios façam interpretações divergentes que comprometam a continuidade dos negócios e o abastecimento.

 

       “Queremos preservar a vida, mas precisamos garantir às empresas e trabalhadores que conseguem exercer o seu trabalho com segurança, tomando as medidas para evitar a aglomeração de pessoas neste momento, a possibilidade de realizar o seu ofício. Se a indústria e serviços essenciais podem encontrar meios de operar sem contribuir para o contágio, o comerciante também precisa ter esta oportunidade”, diz o presidente do Sistema Fecomércio, Luiz Carlos Bohn.

 

        A Fecomércio-RS vem reiteradamente solicitando ao Governo Estadual a prorrogação de seis meses para o pagamento de tributos, considerando a queda abrupta nas receitas das empresas e segue a busca por soluções junto a todas as esferas de governo.

images.jpg